8 os character designers. De forma geral, são

8 Empregos Incríveis para os amantes de videogame

 

Os games estão em voga no
mercado de uma maneira nunca antes imaginada. De jogadores casuais que
transmitem suas partidas para milhares, até jogadores profissionais das mais
diversas categorias, a categoria de entretenimento já possui espaço para vários
tipos de empregos. Alguns velhos conhecidos, outros novas e bem vindas adições.

 

Vejamos algumas dessas
profissões, e para você que deseja trabalhar com videogames, pode ser uma boa
oportunidade de pensar em uma carreira. Caso, também é uma ótima de ver como o
segmento é grande o bastante para não ser ignorado ou desmerecido. Acredite,
isso ainda é muito frequente na cultura brasileira.

1. Artista Gráfico

 

Todo game, do Indie até as
produções de larga escala, depende de artes conceituais para mostrar a direção
na qual suas ideias serão expressadas. Um artista gráfico pode trabalhar tanto
na concepção de cenários, como de personagens ou mesmo mecânicas de jogo.

 

Nesse sentido, os que mais
se destacam são os character designers. De forma geral, são desenhistas que
esmiuçam e desenvolvem todas as características que posteriormente serão
transformados em pixels bidimensionais ou tridimensionais.

 

Eles também podem e devem
desenvolver capacidades de modulação 3D, para traduzir suas imagens em outra
mídia de forma fidedigna; São processos que levam longas horas, o que demanda
profissionais versáteis.

2. Programador

 

Assim como qualquer
trabalho nos meios virtuais, os games sempre são e serão feitos através de
linguagens de programação. E aqui, esse aspecto é trabalhado de forma ainda
mais complexa, uma vez que temos detalhes como motores gráficos, jogabilidade,
interação com cenários, e tantos outros pormenores que fazem dos games algo tão
chamativo.

 

Os programadores nessa área
precisam não apenas conhecer as linguagens de programação específicas do setor,
como desenvolver ferramentas específicas e até únicas dentro dessas bases.

 

A expertise com as várias
plataformas, e mais ainda com os gêneros de games existentes, tem grande
importância para um trabalho de qualidade.

 

3. Pro Gamer

 

Essa profissão ainda é uma
novidade no Brasil, e com uma base pequena se comparada aos desenvolvedores.
Assim como atletas de esportes mais antigos e consagrados, os pro gamers são
jogadores que dedicam horas de estudo, condicionamento físico e estratégico
para se dedicarem aos games escolhidos como carreira.

 

A profissionalização dos
games como esporte, já denominada como e-Sport (esporte eletrônico no bom
português), tem como principal representante o League of Legends. Com uma liga
brasileira promovida pela própria desenvolvedora do jogo, é o principal
chamariz para novos atletas tentarem a sorte aqui e no exterior.

 

Outros games que apresentam
oportunidades para novos interessados são os FPS, games de tiro em primeira
pessoa, e numa escala menor de aceitação, os games de luta e card games
virtuais.

4. Streamer

 

Esse é assunto controverso,
ao menos no Brasil. Viver do streaming de jogos é considerado um emprego?
Independente de sua resposta, esse é um quadro que ganha uma ascensão maior no
Brasil, seguindo os passos de canais como o Youtube.

 

Com uma plataforma inteiramente
dedicada a transmissão online e ao vivo para os games, o Twicth, os streamers
são essencialmente produtores de conteúdo, apresentando ao vivo os games mais
variados para uma audiência mais localizada, que mantém o canal através de
doações, bem como os eventuais anunciantes e a própria parceria com o Twitch.

 

É uma profissão que ainda
vai levar um bom tempo até possuir uma base mais sólida e segura para os novos
interessados, mas que tem enorme potencial no Brasil.

5. Game Designer

 

Criar um game é uma tarefa
mais complexa do que parece. Mais do que personagens cativantes, mecânicas
equilibradas e divertidas, ou mesmo uma história bem desenvolvida, o conceito
de um game precisa de uma estrutura viável e criativa.

 

Em uma analogia simples, é
como inventar uma brincadeira de rua, com a diferença que as ferramentas
necessárias são bem mais complexas e caras. É aqui que o Game Designer entra em
cena: somando conhecimentos técnicos com uma criatividade bem trabalhada, o
papel dele é literalmente, criar um jogo em sua gênese.

 

Todos os gêneros de games,
desde os mais antigos até os modernos, foram formados através dessas ideias em
comum dos seus criadores. Cabe ao Game Designer saber usar as convenções comuns
desses gêneros, e desenvolver algo cativante para o seu público.

6. Level Designer

 

É uma especialidade do Game
Designer, mas que conta com profissionais próprios. Enquanto o Game Designer
tem uma função de direção do projeto, o Level Designer é responsável por
colocar essas ideias na prática, de forma coerente, prática e intuitiva para os
jogadores.

 

Em uma outra analogia,
enquanto o Game Designer pode ser comparado ao Arquiteto de um projeto, o Level
Designer é o engenheiro responsável por dar vida àquela construção. Ele, junto
ao criador do jogo e do designer de personagens, operam as principais ações
dentro do projeto.

7. Beta Tester

 

Com um mercado cada vez
mais exigente e de voz ativa, as empresas de jogos buscam jogadores com um bom
conhecimento e experiência para testarem seus novos projetos. O Beta Tester,
mais do que apenas ser um jogador especializado, sua função é pontuar todos os
problemas e falhas que os desenvolvedores não perceberam.

 

Beta Testers podem atuar
tanto no projeto recorrente dos games, como monitorar e participar junto a
outros jogadores casuais em testes de servidores online, ou mesmo de versões
parciais do game. Ele pode reunir todas as informações necessárias para que a
entrega do produto final seja a mais perfeita possível.

8. Produtor – Executivo

 

É um emprego dedicado a profissionais
com mais tempo de mercado, ou que foram responsáveis por emplacar grandes
projetos. Um produtor – executivo não cuida de apenas um projeto, mas coordena
todo o pessoal responsável pelos games de uma desenvolvedora.

 

É o caso, por exemplo, de Shigeru
Miyamoto, o criador de Mario, The Legend of Zelda, Metroid, e outros games da
Nintendo: hoje em dia, ele não trabalha diretamente nos projetos da empresa,
mas todas as criações passam por seu aval e direcionamento.

 

Gostou das empregos gamers?
Os exemplos dados acima tocam apenas as principais áreas dos jogos. Existem
outros tantos campos que fazem enorme diferença para uma empresa no setor, mas
o que mais chama atenção é que, tal como o cinema, e as histórias em quadrinhos,
todos os seus profissionais são apaixonados pelo setor. Até a próxima!